Artesanato em Fortaleza

Um passeio por Fortaleza é caminho certo para um bom garimpo de artesanato. Na minha última viagem à capital do Ceará fiquei encantada com as descobertas preciosas de lugares incríveis para quem realmente aprecia a arte handmade. Minha primeira para foi o mercado central. A Câmara municipal autorizou a construção do espaço em 1809, a princípio funcionaria para o comércio de carne, fruta e verdura. A reforma mais importante do mercado não foi na estrutura, originalmente era feito de madeira, mas na instalação dos boxes de artesanato.

20140721-154613-56773180.jpg

O mercado, maior do Nordeste, funciona como uma espécie de labirinto. Você vai subindo as rampas e tem acesso aos andares superiores. Uma lojinha do lado da outra fazem o visitante ficar perdido entre tantos achados.

20140721-161330-58410147.jpg

Lá encontramos artigos de moda feitos em couro como sandálias, chapéus, bolsas e malas, bem como rendas, bordados, além de lembrancinhas do Ceará á exemplo das mini-jangadas. Cestarias coloridas são outros achados vendidos em muitos formatos. Produtos regionais também encantam o paladar dos turistas como cachaça, licores, castanha e doce de caju. Caminhar pelo mercado é conhecer um pouquinho da cultura local. Um passeio obrigatório ao turista. Vai lá: Av. Alberto Nepomuceno, 199 – Centro

20140721-160449-57889909.jpg

Outro endereço hype é conhecer a antiga cadeia pública. É um edifício de meados do século XIX que se converteu no Centro do Turismo da Cidade ( Emcetur). O prédio de linhas neo-clássicas é abarrotado de riquezas. E o melhor, os preços são bem camaradas. Entre os lugares que visitei, esse foi sem dúvida o mais barato.
20140721-161533-58533532.jpg

As celas viraram boxes, oferecendo espaço para que os artesão demonstrem suas peças e, no pavilhão, há também espaços culturais. Cada lugar visitado, uma descoberta. Lá encontramos muita renda de bilro, redes, bolsas, calçados, lembrancinhas, itens de cama e mesa, enxoval para bebês e artigos em madeira e palha.

20140721-154714-56834338.jpg

As rendeiras com suas mãos habilidosas fazem suas demonstrações na hora. E a vontade é levar tudinho para casa. Anote: Rua Senador Pompeu, 350 – Centro.

20140721-155206-57126799.jpg

Outro lugar que vale a pena a visita é o Ceart, centro de artesanato. Entre os endereços é o mais caro, mas nada que se compare ao preços que estamos acostumados a pagar em Salvador. No espaço um acervo de produtos de artesãos de diversas partes do Ceará.

20140721-154728-56848649.jpg

É um lugar ideal para garimpar peças com qualidade e acabamento de primeira, como artigos de madeira, cerâmica e palha, rendas e bordados. Também encontramos artigos de couro, de madeira, de metal, instrumentos musicais e literatura de cordel. O centro fica localizado na Av. Santos Dumont, 1.589.

20140721-154721-56841034.jpg

Turbantismo

De origem oriental e bem representados pela cultura africana, os turbantes na Bahia não são grande novidade, visto que faz parte de toda uma base mãe e está ainda ligada aos aspectos religiosos, que são reverenciados diariamente pelo povo baiano. Contudo, foi na glamurosa década de 30 que o estilista francês Paul Poiret, inspirado pela indumentária oriental e figurinos exóticos, introduziu o acessório na alta costura ocidental. Conquistando em especial ao meio artístico da época, a exemplo da Simone de Beavouir e Greta Garbo.

Passando pelo movimento de orgulho negro norte americano nos anos 60, onde os turbantes reforçavam a questão de identidade. Em 2011 novamente em desfiles de grandes grifes internacionais os turbantes fincaram os pés na moda mundial, sendo visto até hoje pelas ruas de diferentes nacionalidades em qualquer estação do ano, apresentando inúmeras formas cores e estilo.

Ele é um acessório poderoso, versátil. O bacana é usa-lo em um look bem urbano para promover uma misturar com étnico sem ser caricato. Vem ver essas inspirações para você ficar com vontade de experimentar.

Slide1 Slide2 Slide3

Por Berta Rehm – consultora de moda e imagem do Closet a Porter

Ideias dos Deuses

Cansada da decoração do seu quarto? Um passeio pelo Pelourinho pode rapidamente resolver esse problema. Passe um fim de semana no hotel butique Solar dos Deuses e a inspiração logo chega. E você nem precisa se debruçar na  janela do solar construído no século XVII, e passar horas observando o Largo do Cruzeiro do São Francisco, local onde está sediado o hotel. A dica é olhar para dentro! As suítes de charme bem decoradas fazem a gente viajar, deixando a imaginação correr solta.

Todos os quartos do hotel butique homenageiam a cultura local e a tradição afro-baiana do candomblé. Ao total são sete suítes, cada uma é batizada com um nome de um orixá. Uma curiosidade: na parte de baixo, ficam os orixás masculinos. Já as suítes de cima são dedicadas as Iabás. Todas elas ganham as cores dos seus homenageados, além de um mobiliário diferenciado e muitas obras de arte. Móveis e peças garimpadas trazem um pouco da história secular da Bahia para dentro do solar.

IMG_2887

1. Suíte Oxalá

Quem gosta da cor branca pode tirar ótimas referências da suíte Oxalá. O tom garante  calma e serenidade predominando na decoração. Uma grade antiga vira cabeceira da cama, uma maneira de fugir do óbvio e ter em casa uma peça única, cheia de personalidade.  Nesse espaço abençoado pela magia do orixá da criação, a madeira nobre brasileira do mobiliário é outro destaque. E vamos combinar, madeira e branco, são ótimos parceiros. Rola muito sentimento!

IMG_2888

2. Suíte Xangô

O vermelho é o toque especial mandado por Xangô na decoração inspirada pelo calor do orixá que rege o fogo.  Quem curte um tom mais vivo e chamativo no decor pode usar o vermelho como referência.  Pinte apenas uma parede com a cor, olha só como ficou perfeito a escolha daquela que serve como pano de fundo para as camas. Depois basta escolher uns elementos decorativos com tons que se harmonizem com o vermelho, e o quarto já ganha aquela bossa.

IMG_2890

3. Suíte Yemanjá

Para os amantes do azul, muita inspiração vem da suíte Yemanjá. O quarto que abraça a rainha do mar também carrega referências interessantes que podem ser adaptadas ao seu decor. Por exemplo, pintar a parede de azul. Mas nesse caso a originalidade desponta quando percebemos que a parede escolhida não foi a principal, mas sim a lateral, mostrando que os caminhos para um espaço criativo somos nós quem determinamos. Um lustre interessante é outro elemento hype capaz de roubar a cena. Capriche no seu quarto, afinal, é ali que passamos um bom tempo do nosso dia.

Carregar Mais