Documetários refletem sobre outros aspectos da moda

Moda não é só consumo. Também contempla outros temas como comportamento, economia e relevantes questões sociais. Dois ótimos documentários ,disponíveis no Netflix e Popcorn Time, investigam o mundo fashion por um outro olha questionador e criativo. O melhor é que dá para assistir os dois em casa, em qualquer momento que você estiver com um tempinho sobrando.

O primeiro é o “Advanced Syle” (que recebeu o infeliz subtítulo no Brasil de Vovós Fashion). Dirigido pelo  fotógrafo Ari Seth Cohen, baseia-se no blog de moda Advance Style. O filme retrata a vida sete mulheres super estilosas, com idades entre 62 e 95 anos, que vivem em Nova York. De forma bem humorada e inteligente o documentário mostra que ter estilo independe de idade, é um reflexo da pessonalidade. E toca também na questão de que a beleza sobrevive com dignidade ao tempo. É um belo retrato sobre a criatividade humana e o quanto vale a pena não seguir regras de moda, mas sim criar sua prórpria visão. Imperdível!

As mulheres cheias de estilo do documentário Advanced Style

As mulheres cheias de estilo do documentário Advanced Style

“The true cost” (O verdadeiro custo) do diretor Andrew Morgan faz uma denúncia contundente sobre a exploração da mão de obra em países subdesenvolvidos para a produção de roupas baratas. Andrew viajou para Bangladesh, Índia e Camboja, (lugares conhecidos por serem centros varejistas de moda) visitando fábricas de vestuário e mostrando as condições desumanas a que milhares de pessoas são obrigadas a trabalhar para sobreviverem. O filme também estabelecendo um contraponto dessa realidade cruel com o mundo glamouroso das passarelas.  A estilista inglesa Stella McCartney, uma atividade em torno da sustentabilidade e direitos humanos, dá depoimentos ao filme. Essa é uma questão urgente em todo o mundo, inclusive no Brasil onde já se registrou muitos casos de trabalho escravo. Vale muito a pena ficar atento.

“Quem paga o preço das suas roupas?”, questiona o documentário “The true cost”

Yellow Easy Food

O restaurante Yellow é um daqueles points gastronômicos da cidade que conquistam por unir um ambiente bacana, boa comida e preço justo. A decoração segue bem aquela estética descolada contemporânea com as paredes pintadas de preto, no estilo quadro negro, coberta com desenhos. O cardápio vem impresso nos jogos americanos da mesa. Famoso pelo seu happy hour e drinks refrescantes, tem uma boa trilha sonora, tocando principalmente indie rock. Me conquistou.

yellow

Agora abrindo para almoço é uma opção a mais na Pituba. Fui realmente querendo uma refeição rápida. Investi no cardápio executivo que por R$ 35, que inclui a possibilidade da escolha de uma proteína com mais dois acompanhamentos e sobremesa. Optei por um salmão grelhado com salada ao molho de quejo azul e risoto de cogumelos. Delicioso e em uma porção generosa.

yellow 2

De sobremesa a oferta do dia era sorvete de coco com uma palha italiana crocante. Nada mal para ele horário de almoço apertado, durante a semana de trabalho.

Vá lá: Rua das Hortênsias, 966, Pituba. Telefone (71) 3019-6800.

Flatforms

A primeira coisa é logo traduzir o nome. O que realmente é uma flatform? Essa peça de nomenclatura esquisita que conquistou definitivamente os pés das fashionistas mais hypadas do globo, quer dizer: um modelo de sapato com um salto tipo plataforma, porém reto – daí a explicação para começar com a palavra “flat” que quer dizer plano ou reto.

shoes 1

Atualmente, existem uma variedade enorme de modelos no mercado. Você pode adotar um no estilo creeper, ou mesmo aqueles que lembram sandálias  ( como se elas estivessem acopladas no salto bloco)  ou ainda o modelo no estilo Converse, que são mais descolados e informais, esses casam perfeitamente com jeans. Quem optar pelos calçados abertos, vale combinar com um vestidinho bem solto.

shoes 2

shoes3

Muita gente torce o nariz para esse moda, por achar os sapatos pesados e grosseiros. Mas o fato é que a tendência pegou e o seus pés não passam despercebidos com eles. Descole um visú bapho e mostre que um sapato conceitual merece uma dona com a mesma pegada.

 

Carregar Mais